segunda-feira, 2 de maio de 2016


O Rei Assuero e sua Rainha Vasti
Assuero deu um banquete para fazer manifestação de sua riqueza [...]. Estando o Rei com o coração alegre pelo vinho, ordenou aos eunucos que trouxessem à sua presença a Rainha Vasti , com o diadema real , para mostra a todos a sua beleza, ela porém recusou sujeitar-se à ordem do Rei [...] Assuero tendo consultado os sábios publicou um decreto que proibia Vasti de se apresentar novamente diante de dele, e que o título de Rainha seria conferido a outra que fosse mais digna (Et 1).
A narrativa do primeiro capítulo de Ester concede-nos dois pontos de reflexão o primeiro na atitude do Rei Assuero, ele orgulhoso de tudo aquilo que possui concede a todo o povo um banquete, no qual deseja mostrar sua riqueza, esta que o cega a ponto de considerar a própria Rainha como objeto, parte do seu tesouro, e de cuja beleza julga dispor como lhe apraz, porém, a rainha Vasti mostra o contrário com sua atitude e concede um segundo ponto à reflexão.
Vasti não aceita ser tratada como objeto, ainda que tal atitude lhe custe a realeza, ela tem consciência de sua dignidade de pessoa que riqueza alguma pode comprar. Perde a realeza humana, mas mantêm inabalada sua alta dignidade, ao contrário de Assuero que mesmo depois de tudo o que fez para dar vistas à sua riqueza, permanece no vazio, pois perdeu dois preciosos bens, sua dignidade, porque quem fere a dignidade do outro, fere também a si mesmo; e é também privado, por seus atos, da presença amorosa de Vasti e da contemplação de sua beleza.
Pode parecer que não mas as duas atitudes têm muito haver com o caminho de discernimento vocacional. quantas vezes as pessoas preferem o orgulho de mostrar suas "riquezas" (emprego, títulos, estudos, amigos, família, etc) à aceitar a grandiosa dignidade da vocação que o Senhor lhes concede???
Sabe-se de um outro jovem que preferiu o fulgor de suas riquezas à honra do seguimento de Cristo, e também a recompensa de sua resposta: a TRISTEZA (Mt 19, 16-22).
O Senhor, em sua bondade, concede a cada ser humano o grandioso dom de uma vocação que confere à pessoa chamada uma dignidade celeste à qual bem algum pode comprar. O que você escolherá?

Nenhum comentário:

Postar um comentário