segunda-feira, 25 de abril de 2016


Rute
Não insistas comigo, para que te deixe e me vá longe de ti. Aonde fores, eu irei, aonde habitares, eu habitarei. O teu povo é meu meu povo, e teu Deus, meu Deus. O Senhor trate-me com rigor se outra coisa a não ser a morte, me separar de ti (Rt 1).
Rute, nora de Noêmi, também ela viúva, escolhe permanecer com a sogra. Belo é ver a declaração de fidelidade e amizade de Rute para com Noêmi.
No caminho vocacional a amizade verdadeira, aquela fundada em Deus, torna-se verdadeira fonte de fidelidade ao Senhor. “Quem encontrou um amigo, encontrou um tesouro”, diz a sabedoria de Deus.
Nos tempos atuais, assim como o amor, a amizade tem sido tratada frivolamente, tornando esta relação, que deveria ser tão bela, vazia de sentido, isso porque as pessoas não tratam, primeiro, de amizade com Aquele que deveria acompanha-las em sempre em suas relações: DEUS. Olha-se, normalmente, para Ele como um ser distante, superior, e que contabiliza todos os erros. Só que Deus não é assim! Ele quer caminha com seus filhos, ouvir suas aflições e comemorar junto suas vitórias e alegrias.
Amizades nascidas e cultivadas à luz do amor de Deus, essas sim são verdadeiras, pois nascem para a glória do Senhor!



Nenhum comentário:

Postar um comentário