quinta-feira, 4 de fevereiro de 2016

Novena 2016

6º Dia: Contemplação do mistério de Belém
         “Ana nutria, desde menina, uma grade e excepcional ternura para com o Menino Jesus. Nele entrevia o símbolo de um ideal incomparável, de ingenuidade e de inocência, que se esforçava por imitar.”
         São João lançou um “olhar de águia” sobre toda a vida de Cristo, vendo em cada detalhe o infinito amor do Senhor, de tal modo que não se cansava de proclamar que “Deus é amor.” Os fundadores por inspiração do Santo Espírito, o Amor de Deus, lançaram este “olhar de águia” sobre pontos específicos da vida de Cristo, assim a Madre Ana e o Pe. Cósimo deixaram-se conquistar pelo Menino Jesus fazendo-O Objeto do seu amor.
         As Irmãs Oblatas do Menino Jesus “adorando o Filho de Deus que quis nascer de uma mulher, contemplando o seu amor infinito no semblante de um ‘Menino envolto em faixas e deitado numa manjedoura’, escutam seu convite para se tornarem mansas e humildes de coração, e imitam a sua submissão e laboriosidade na Sagrada Família” (Const. 6, 2).

         A Madre Ana sabia que a fé verdadeira se prova nas obras e por isso o amor que cultivava pelo Menino Jesus se tornava sempre mais vivo em seu coração virginal e tomava forma e substancia nas obras de apostolado. Buscava que Cristo fosse conhecido e amado, reconhecendo-O no semblante de cada irmão, o seguia de Belém ao Calvário.

Nenhum comentário:

Postar um comentário