sexta-feira, 8 de agosto de 2014

Vocação, você já pensou nisso?

Quando dizemos que uma pessoa leva jeito para determinada atividade, e a faz bem feita e com facilidade, costumamos dizer que ela tem vocação. O termo vocação deriva do latim "vocare" que quer dizer chamar, ou "vocatio", que significa chamado. Para nós cristãos, é pois um chamado de Deus, que quer contar com nossa ajuda para realizar seu plano de amor. Deus nos conhece e nos chama para uma determinada missão, antes mesmo de nascer, como está no livro do profeta Jeremias: "Antes que eu te formasse no ventre de tua mãe, te conheci, e antes que nascesses te consagrei e te designei como profeta às nações" (Jr 1,5). Mas Deus não tira nossa liberdade, Ele não nos impõe uma camisa de força. Ele deixa que respondamos a esse chamado livremente. 
Muitas vezes, quando falamos em vocação, pensamos somente nos consagrados, padres e freiras; mas devemos nos lembrar de que todos nós somos vocacionados, isto é, chamados a sermos colaboradores na construção do Reino de Deus. Por isso, é importante descobrir a que Deus nos chama. Podemos dizer que o primeiro chamado que Ele nos faz é à vida e, assim, somos chamados a participar da construção da sociedade em seus diversos aspectos. 
No batismo, somos chamados para uma missão particular, a de sermos cristãos e viver nossa identidade cristã, no segmento de Jesus. Ao mesmo tempo que a vocação é um chamado de Deus, é também uma resposta pessoal. Todo aquele que chama espera uma resposta, e cabe a cada um responder segundo o seu coração. 
Mas, e se for difícil esta resposta? E se eu não tiver, certeza do que quero? A Pastoral Vocacional é um bom caminho para quem deseja buscar uma resposta sobre o sentido da vida. Ajuda os que se sentem chamados a crescerem na fé, tornando-os capazes de descobrir e discernir a própria vocação e missão a serviço da comunidade. Ao descobrirmos nossa vocação, partimos a buscar. A vocação exige coragem para optar por um voo mais alto; mas nem sempre é fácil, temos que deixar algo para trás. Não perdemos nada, apenas abrimos mão de algumas coisas tendo em vista outras melhores. 
Quem opta pelo sacerdócio é chamado a assumir o ministério na Igreja no serviço aos irmãos. O padre é o guia e animador da comunidade. Tem a missão de ensinar, santificar e coordenar o povo de Deus. É dever dele continuar a missão de Jesus, por meio do anúncio do evangelho e do testemunho da palavra. Já dizia São João Maria Vianney: "O padre não é padre para si mesmo ( ... ) Ele não existe para si mesmo, e sim para os outros". Então, o presbítero deve viver sua vocação no contato com o povo, inserido no meio dele, conhecendo suas realidades e seus desejos. É esse o pedido do papa Francisco, 'que os pastores tenham o cheiro das ovelhas'. No povo de Deus, algumas pessoas são chamadas a consagrarem inteiramente sua vida a Ele, vivendo os votos de castidade, pobreza e obediência. São os religiosos, conhecidos popularmente como freiras, freis, irmãos, monges. Pertencem a uma ordem ou congregação religiosa. Cada uma dessas ordens ou 
congregações tem seu carisma próprio, isto é, seu serviço especifico prestado à Igreja e ao mundo. 
A vocação laical é a dos leigos. Estes são todos os fiéis que, unidos a Cristo pelo Batismo e membros do Povo de Deus, são chamados a atuar na família e na sociedade dando verdadeiro testemunho cristão dentro das realidades nas quais se encontram no dia a dia. Onde estão os leigos, aí está a Igreja de Cristo. "Os fiéis leigos estão na linha mais avançada da vida da Igreja: graças a eles a Igreja é o princípio vital da sociedade humana. Por isso, especialmente eles devem ter uma consciência sempre mais clara não somente de pertencerem à Igreja, mas de serem Igreja" (Pio XII). 
Entre os leigos, encontra se a vocação matrimonial. Os chamados ao matrimônio têm a missão de cooperarem com o Criador na geração e cuidado da vida. Homem e mulher, chamados por Deus a se unirem pelo sacramento do matrimônio, concretizam, em sua vida conjugal, aquele amor com que Cristo amou a Igreja. Constituindo famílias, tornam-se formadores de novos cristãos para a Igreja e cidadãos para a sociedade. Vivem, por tanto, sua vocação na entrega sincera do amor de um pelo outro. 
São varias as vocações para seguir. E Deus não se cansa de nos chamar. Basta que saibamos escutá-Lo e perceber com qual me identifico. Não é fácil escolher um caminho. Renunciar, escolher, sairmos de nós mesmos para abraçar o chamado que Deus nos faz, num mundo que se mostra cheio de oportunidades, algumas boas, outras nem tanto. 
Que tenhamos a coragem de ir contra a corrente, vivendo nossa vocação e assumindo nossa missão como cristãos evangelizadores, engajados no serviço ao Reino de Deus. Você não está no caminho por acaso, plante essa ideia. Eu fiz minha escolha. E você, já pensou nisso? Vem, Ele te chama! 

Sem. Luis Henrique de Azevedo

Nenhum comentário:

Postar um comentário