terça-feira, 25 de janeiro de 2011

A canção da minha vocação


   Há sempre na vida da gente uma canção que marca um acontecimento importante e quando ouvimos esta canção o coração dispara causando-nos um sentimento de alegria, tristeza, de paz... Depende realmente do que aconteceu.
   Uma música que é a marca da minha vocação é “Te deixas encontrar” ( Banda Vida Reluz). Cada palavra parece que foi escrita para mim, é como se a minha história vocacional fosse desenrolada em uma melodia:
“Procurei tão longe em outros horizontes o que estava aqui perto de mim.
Sempre ao meu lado, pronto pra um abraço eu estava sempre a repetir.
Essa solidão não parece ter fim... eu procurava uma saída para o meu coração.
Sempre tão distante o coração errante acostumado a cair.Foram tantas quedas,
perdas eu tivera continuava a seguir, mas nenhuma palha mudou do lugar...
tanto tempo eu andei só pra tentar te encontrar
Estavas dentro do meu coração tudo mais era ilusão
que o vento leva pra não mais voltar
Sei que agora, Jesus, eu te encontrei e viver sem ti eu já não sei
sei que te escondes e te deixas encontrar
Vejo a solidão do peito arrancar sua paz em mim veio transbordar toda a minha vida por ti procurei”

   Durante grande parte da minha vida fui em busca da minha felicidade, e embora tratasse Jesus Cristo como um tesouro, não O valorizava como realmente deveria. Fazendo uma caminhada pela minha história não é dificil notar que jamais estive só, mesmo que as vezes acreditasse o contrário. Jesus Cristo sempre esteve bem pertinho de mim, pronto para me acolher... Embora muitas vezes tenha levado quedas feias que produziram feridas dolorozas, Ele sempre permitiu que eu me aproximasse para que eu pudesse ser amada e consolada somente por Ele.
   Depois de um longo tempo de procura descobri que a minha verdadeira felicidade estava à minha frente e que todos os projetos que eu tinha produzido em minha mente não era nada diante do que Deus havia reservado para a minha vida.
   Àqueles que questionam se me arrependo da minha escolha, a resposta é não. A vida em Cristo Não é fácil ( e Ele jamais disse que seria fácil), no entanto,é um caminho que tem um fundamento certo.
   Quando tinha 18 anos li uma frase de Santa Tereza que diz: “ Só Jesus me basta”. Desde então, comecei a escrevê-la em todos os meus cadernos,queria compreendê-la, pois é pequena, porém diz muito.
   No dia 02 de janeiro de2011 com grande alegria vivenciei esta frase da forma mais radical. Não serei capaz de amar a Cristo com a mesma intensidade que Ele me ama, mas que o meu amor por Ele possa atingir o mais alto nível de minha capacidade, pois o meu nada em Jesus será sempre o meu tudo. Jesus se esconde e se deixa encontrar! Basta procurá-Lo e a partir desse pensamento chegaremos à conclusão de que tudo mais além de Jesus Cristo é ilusão.
Irmã Maria Rosilane, OMJ



sábado, 22 de janeiro de 2011

É esperado, é chegado o momento!

       Há tanto tempo esperei e agora não contando com minhas forças e sim com a de Deus, e com sua infinita misericórdia que cobriu-me com seu Amor retirando, livrando-me do mundo, para ser apenas sua, por meio da radicalidade dos Conselhos Evangélicos a (pobreza, Castidade e Obediência).   Não sei como agradecer, não sei o que falar, como falar, o que sei na verdade é o que estou experimentando, experimento o pedaço do céu aqui na terra. Pois já falava Santa Terezinha que o Céu é Amor e eu estou amando, estou experimentando o grande amor de Deus por mim por meio dos irmãos e de cada acontecimento que se deu ao longo da minha existência. Voltando à vinte e oito anos atrás tenho percebido que realmente foi Ele que chamou-me, e que continua a chamar. Tenho dado conta que todo o meu viver foi sustentado pela a graça de Deus, onde tem revelado-me a sua verdade, mesmo passando por outros caminhos, Ele não negou a sua Mãe a mim. Pelo o contrario entregou-me a Ela, sabendo que em seu colo estaria segura. E Assim no colo de Maria é que encontro–me experimentando o que é ser feliz o que é viver o Céu aqui na minha Comunidade, por isso tanta gratidão à minha Congregação que por graça recebeu-me definitivamente como membro dessa família de Deus.
     Para muitos isso é uma loucura e impossível viver juntas e ser pobre, Obediente e Casta, viver tais votos nos dias de hoje, mas experimento–os na minha própria carne e espírito, ou seja, aquilo que sou, posso provar e comprovar com minha pequena experiência, porém válida, vivendo três anos como Aspirante, um ano como Postulante, dois anos como Noviça e seis anos como Esposa do próprio Senhor por meio da minha Consagração, declaro que é possível e mais do que isso é maravilhoso. É um Dom de Deus e a cada dia dou conta que fui verdadeiramente atraída e seduzida por esse AMOR. Afirmo essa verdade do íntimo do meu ser não para exaltar-me e diminuir a vocação matrimonial, mas para compartilhar o meu viver e minha entrega e por isso imploro as vossas orações, pois sou fraca e preciso de você da sua ajuda, em virtude disso é que Professei publicamente frente à Igreja e a você a minha pequenez e a grandeza de Deus que sustenta-me, a cada momento. Por isso prostei-me até o chão e com este gesto tão simples, mas rico em significado é que
gritei para o mundo ouvir que realmente sou fraca sou pequena sou um nada, sou serva por isso obriguei-me a usar como vestimenta o habito cinza ou preto, e o véu branco falando para todos o que sou. É isso que sou! É isso que quero ser todos os dias da minha vida! Quem é o servo? O servo é aquele que cuida não de suas coisas, mas das coisas do seu senhor. O servo é aquele que é pequeno que volta o rosto novamente para Deus após uma queda e isso é converter- se. É tomando consciência da minha pequenez, do meu nada que sou é que afirmo e renovo o pacto de Amor com Deus e com os irmãos. Pois não quero nada mais apenas ser um nada é isso mesmo um nada que transforme em um transporte de raios de luz para que tudo comece ou recomece. “ Onde a luz à saída para

 a vida
Ir. Maria Lucineide Porto - OMJ

quinta-feira, 20 de janeiro de 2011

AGRADECEMOS...

    
Primeiramente a Deus pelo dom da vida, pelo chamado e pela graça que Ele nos dá de correspondermos à nossa vocação; À Igreja, por tornar-nos filhas de Deus por meio do Batismo e por nos possibilitar a vivencia mais radical deste Sacramento por meio dos votos que hoje professamos; Ao Dom João, representante da nossa santa Mãe Igreja em meio a nós, por mediar nossos votos para com Deus. E por celebrar esta Missa com tanto carinho e dedicação.
     De um modo particular agrademos ao Pároco deste Santuário, nosso admirável Pe. João Périus, que com generosidade e alegria permitiu e colaborou para que esta celebração se realizasse neste Templo Sagrado; Aos Padres aqui presentes pela atenção, presença e oração.
    À Congregação das Irmãs Oblatas do Menino Jesus, na pessoa da Madre Geral Rafaella Funari, por nos acolher e nos dar a formação necessária para atuarmos neste mundo conforme a missão confiada a nós pelo próprio Deus.
   A todos aqueles que foram usados por Deus para modelar-nos conforme sua vontade benevolente e misericordiosa, em especial aqui ás nossas formadoras: a Madre Bernadete, que doa e nos ensina a doar toda a vida pelo Reino de Deus e a Ir. Neula.
   À Ir. Sueli e Ir. Aparecida que se responsabilizaram por nós durante nosso juniorato e foram instrumentos de Deus em nossas vidas.
   Às comunidades da Congregação presentes na Itália, no Perú e no Brasil (Brazlândia, Asa Norte, Planaltina-GO e Oliveira-MG) por nos auxiliarem e estarem unidas a nós pelas orações, principalmente nestes dias em que nós entramos em Retiro e todas colaboraram para que vivêssemos bem este momento.
  A todos os nossos Confessores, em especial ao Frei Casimiro, nosso atual Confessor.
  Aos sacerdotes que nos orientaram espiritualmente: Pe. Giuseppe Rinaldi, Pe. Ângelo, Pe. Pacheco, Pe. João Périus, Pe. Luis Antônio, Pe. João Roberto, Pe. Carlinhos de Oliveira.
  Aos Irmãos da Sagrada Família, que facilitaram nossa possibilidade de estudos no Colégio Sagrada Família na Asa Norte.
  Às Irmãs dos Sagrados Corações de Jesus e Maria.
  A todos os nossos amigos e bem-feitores italianos e brasileiros.
  A todas as Paróquias e comunidades de onde saímos:
São Paulo – Incra 08;
Nossa Senhora d’Abadia – Anápolis;
 Divino Espírito Santo – Planaltina-GO;
Santuário Menino Jesus – Brazlândia;
 São Vicente de Paula – Taguatinga;
Comunidade Nª Senhora de Guadalupe – Par. Santo Antonio – Cid. Ocidental;
São Gabriel Arcanjo – Recanto das Emas;
Às comunidades paroquiais onde desenvolvemos nossa missão catequética nas cidades:
Brazlândia;
Recanto das Emas;
Riacho Fundo I e II;
Incras e Cond. Privê;
São Sebastião;
Arapoanga/Planaltina-DF;
 P. Sul;
Santa Maria;
  À todos aqueles que tanto se dedicaram para preparar esta Liturgia:
Às irmãs;
Ao Ministério Pedras Vivas;
 Aos acólitos e ministros;
   E como poderíamos esquecer àqueles instrumentos utilizados por Deus para que estivéssemos aqui? Aqueles que, por permitirem que nascêssemos e crescêssemos, não hesitaram em nos ofereceram ao Menino Jesus, que deseja nascer e crescer em todos os corações. Aos nossos pais, nosso eterno agradecimento... E aos nossos demais familiares.
(Agradecimentos feitos pelas Neo-professas no dia 2 de Janeiro de 2011)

sábado, 15 de janeiro de 2011

Noviciado e Postulantado.

"Conduzí-la-ei ao deserto e falar-lhe-ei ao coração"(Os 2,16)

Ir. Maria Juciele e Anália Tyelle
 "O noviciado é o periodo fundamental da formação; com ele inicia-se a vida religiosa da cadidata..."(Const.art.60)
Juciele


A nosssa Família Religiosa se alegrou muitíssimo, no dia 8 de janeiro de 2011 com o novo passo dado por Ir. Maria Juciele, que iniciou o noviciado, periodo no qual ela se preparará para a profissão dos conselhos evangélicos de Castidade, Pobreza e Obediência.



Anália Tyelle

Nos alegramos também com o primero passo de Anália Tyelle, que iniciou o postulantado. Rezemos por estas duas jovens que ouviram a voz do Senhor e responderam prontamente ao seu  chamado. Peçamos a Deus também pelas três jovens que neste ano ingressarão no aspirantado, periodo de experiêcia e verificação da própria vocação. As confiamos à Virgem Maria para que ela as guarde sob seu manto.

Santa Mãe de Deus,
rogai por nós!!!
(Ir. Maria Elisâgela)

domingo, 9 de janeiro de 2011

“Estou desposada do Filho do Eterno Pai,nascido da Virgem Mãe e Salvador do mundo.”


Irmãs de Votos Perpétuos



Irmãs de Votos Temporários

 No dia 2 de janeiro de 2011, deu-se no Santuário Menino Jesus, em Brazlândia, a solene cerimônia de votos perpétuos de Ir. Maria Marta Helena, Ir. Maria Lucineide, Ir.Maria Hilda e
Ir. Maria Girlene e votos temporários de Ir. Maria Rosilane,
 Ir. Mariany Maria,
Ir. Maria Elisângela e  Ir. Maria Treicy Anne.
Quem não teria curiosidade de saber como se dá o esponsalício entre Jesus e suas viagens esposas?             
           No matrimônio entre um homem e uma mulher, tal como o próprio Deus o instituiu, há um amor de mediação pelo qual na doação mutua do amor conjugal ambos amam o Deus fazendo um ao outro feliz. Os esposos usam a aliança, símbolo da entrega e da fidelidade, mesmo em meio as diferenças, incompreensões e dificuldades...
          As virgens esposas de Cristo optam por amá-lo sem mediações. “Todo amor é por natureza exclusivo e quem ama não se priva de nada quando de priva de tudo aquilo que não é o seu amado...” Por isso com o voto de castidade, vivido na continência, renunciam ao matrimônio, a uma amor humano e a qualquer tipo de prazer físico."Depois que me circundastes com tantas finezas de amor como poderia buscar as coisas da terra? Honras riquezas e prazeres eu não quero, Vós sois para mim honra riqueza e motivo de satisfação profunda .”(Madre Anna Moroni)

Parentes, Irmãs e amigos durante a Santa Missa

     Tendo em vista a grandiosidade deste mistério que é dom de Deus; foi feito um tríduo em preparação para a profissão nos dias 28, 29 e 30 de dezembro. No primeiro dia meditamos um pouco sobre a Congregação, no segundo dia a Ir. Lucineide deu seu testemunho vocacional, mostrando como ainda hoje as Irmãs vivem o Carisma e no terceiro dia falamos sobre os três votos assumidos pela religiosa e da vida da Madre Anna Moroni, mulher que primeiro viveu como Oblata.
       Muitos parentes e amigos das Irmãs marcaram presença na cerimônia e também muitas pessoas que mesmo não conhecendo quiseram estar presente.
Dom João Braz, Madre Rafaella Funari, Ir. Rosilane  
            A cerimônia durou  cerca de 3 horas e foi presidida pelo, então, Arcebispo de Brasília, sua Excelência Reverendíssima Dom João Braz de Aviz e por 14 Padres de diversas comunidades da Arquidiocese e do entorno, inclusive os Padres que atendem no Santuário, 1 Diácono, e alguns Seminaristas.
           Estava presente a Superiora Geral de nossa Congregação: Madre Rafaella Funari e todas as Irmãs das 4 casas que temos no Brasil (Brazlândia- DF, Brasília- DF, Planaltina- GO e Oliveira- MG), e 1 Irmã Brasileira que mora em Lima - Perú.
 
Quem viu, sabe que valeu e vale a pena tomar parte de algo tão bonito e que encanta os corações, porque é demonstração de amor do próprio Deus!
         Para que fosse fechado com chave de ouro, todas as vocacionadas foram convidadas a passar uma semana na casa de formação para que pudessem conviver com as Irmãs e aprender, vivendo, a que somos chamadas.
Oração

Passeio






Semana vocacional 2011


Passeio

Passeio









Vale a pena deixar tudo para seguir a      Cristo mais de perto. Estas Irmãs ouviram e atenderam .
E você???
                                                 "Vinde e vede!" (Jo 1,39)


(Ir. Maria Elisângela)