quarta-feira, 29 de junho de 2011

Tríduo em preparação ao aniversário da Congregação.

1º DIA DO TRÍDUO:


a)  Quem somos nós. Quem é a  Irmã Oblata do Menino Jesus

• Carisma: Existência Carismática: O Espírito Santo ao mover uma pessoa para fundar uma Congregação suscita nela um CARISMA. “A missão da Vida Religiosa não é atividade profissional, mas o SER CARISMÁTICO” (Arnaldo Pinha).

A maioria dos CARISMAS FUNDACIONAIS surgiram em RESPOSTA a situações de pecado e de opressão. Com a Madre Ana não foi diferente:

“Madre Ana Moroni nasceu em Roma/Itália no dia 6 de março de 1613, num período de forte crise em todos os setores da sociedade, especialmente, no campo da fé e da moral. As mulheres eram as principais vítimas, não tinham direito à educação, eram desvalorizadas e desfrutadas na família, na sociedade e no trabalho...”

Carisma da Congregação: Contemplação do Mistério da Encarnação: “O Verbo se fez carne e armou Sua tenda entre nós” (Jo 1,14). Cada Irmã é chamada a viver a espiritualidade de Belém, alcançando a semelhança com o Verbo encarnado.

Missão e Espiritualidade: A Missão nasce (brota) do Carisma. É o Carisma que dá a IDENTIDADE a quem se consagra numa determinada Família Religiosa. A Espiritualidade é a própria vida religiosa. É o seguimento de Cristo vivido de forma carismática. A Espiritualidade portanto consiste no "cultivo do Espírito". Pode-se considerar a espiritualidade como a "dimensão fundamental do homem e do Consagrado(a)". (cf Pinha)

A presença de Deus na história e a sua providência em favor da salvação dos homens fizeram nascer no seio da Igreja os pequenos e os humildes de coração como seus instrumentos: "Eu te louvo, ó Pai, Senhor do céu e da terra, porque ocultaste estas coisas aos sábios e doutores e as revelaste aos pequeninos, sim, ó Pai, porque assim foi do seu agrado" (Mt 11,25-26) O Espírito Santo foi, então, modelando aos poucos a alma da nossa Madre Ana e introduzindo-a no MISTÉRIO DA ENCARNAÇÃO DO VERBO DE DEUS DE BELÉM AO CALVÁRIO E DO CALVÁRIO À EUCARISTIA onde, em profunda adoração, encontrava com o seu Pequenino que por nós morreu na cruz (Jo 4,15).

Adorando e contemplando a humilhação na qual o Verbo de Deus se sujeitou (Fl 2,5-11), Madre Ana procurou curar as feridas do pecado com a medicina da verdadeira humildade, do abandono, do escondimento, da simplicidade e da alegria.

Toda a sua vida foi um peregrinar constante na FÉ e na confiança total em Jesus, seu único Bem, o qual preparava o seu caminho, associando-a à sua Paixão, ensinando-a, desde pequena, a destacar-se de tudo e de todos por meio de sofrimentos físico, moral e através de uma radical morte de si mesma, assim Madre Ana deixou-se consumar pelo sofrimento para pagar com amor o Amor de Deus.

Madre Ana como autêntica “discípula missionária” do Verbo encarnado, movida por um ardente ZELO APOSTÓLICO, no início do seu caminho espiritual até a sua morte, acolheu como uma MÃE, na sua casa, jovens marginalizadas e conduziu-as a uma autêntica vida cristã, de seguimento do Cristo, através da catequese e da educação.


ORAÇÃO:
Abençoai-me, Menino Jesus e rogai por mim sem cessar.
Afastai de mim, hoje e sempre o pecado.
Se tropeço, estende vossa mão até mim.
Se cem vezes caio, cem vezes levantai-me.
Se me deixares Menino Jesus, que será de mim?
Nos perigos do mundo assiti-me.
Quero viver e morrer sob vosso manto.
Quero que minha vida te faça sorrir.
Olhai-me com compaixão, não me deixes Jesus meu.
Recebei-me e levai-me junto a Vós.
Vossa benção me acompanhe hoje e sempre.
Amém!
( Oração retirada do site: http://www.oracoes.info/MeninoJesus07.html)

Nenhum comentário:

Postar um comentário